Blog Widget by LinkWithin
Connect with Facebook

terça-feira, 25 de março de 2008

Rastreio de Cozinha - 20

Hoje, 25 de março, faz exatamente um mês que começou o segundo ano da minha faculdade de gastronomia. Nem parece, tal a rapidez com que passamos por variados pratos - franceses, mexicanos, paulistas, mineiros, capixabas, pães, doces - e o mundo da cozinha - desconstrução, releitura, abordagens novas das idéias clássicas.

Nesse período, tive, inclusa esta terça-feira, exatos 20 dias úteis de aula que, com orgulho, afirmo aqui tê-los vividos efetivamente, a despeito dos contratempos. Os obstáculos são vários - preguiça, cansaço, trabalho, chuva, transporte caótico, irritação. Mas, até o momento, nenhum foi forte o bastante para se sobrepor à visita diária às cozinhas da faculdade.

O meu último contratempo aconteceu hoje, de manhã. Ontem, na aula de Cozinha Brasileira, num dado momento, trabalhei com pimenta malagueta: tirei o cabinho, extraí as sementes e cortei as pimentas em pedacinhos para a moqueca capixaba. Primeiro erro: cocei um dos olhos, que começou a arder sem parar. Segundo erro: confundi as queimaduras da pimenta na ponta dos dedos com queimaduras de fogo. Terceiro erro: ao limpar as lentes de contato (sim, as uso, há 67 anos), meus dedos estavam contaminados pela pimenta e, logicamente, contaminaram minhas lentes de forma irremediável. Perdi as lentes. Não me servem. Pimenta nos olhos não é refresco, mesmo! É que eu tinha dúvidas, sabe!

O resultado da desinformação é que tive que sair à procura de lentes descartáveis que, obviamente, não têm o mesmo grau de miopia e astigmatismo das minhas confortáveis lentes de uso prolongado. Paguei pelas danadinhas descartáveis exatos R$ 83,90 (três pares - SofLens - Baush & Lomb - fabricadas na Irlanda!). Terei que pagar mais R$ 250,00-R$ 300,00 pelas minhas queridas lentes de uso prolongado (também Baush, mas que duram enquanto é eterna a minha dedicação a elas).

Quanto à desinformação que citei, é o seguinte: quando você for manipular pimentas (dedo de moça, malagueta ou de qualquer outra espécie), esfregue um pouquinho de azeite ou óleo de cozinha nas mãos. O cheiro (e eventuais acidentes) desaparece de imediato. Se você não fizer isso, poderá ficar com resquícios de pimenta nas mãos por até 72 horas, com desagradáveis ardências pela boca, olhos e outras partes do corpo tocadas por você, sabe-se lá porque! Para você ter uma idéia da força da pimenta, quando tentei, pela enésima vez, fazer minhas córneas assimilarem as lentes temperadas com pimenta, cheguei a um nível tal que senti, por dentro, o gosto de pimenta. Foi um pequeno festival de pimenta em todos os minúsculos nervos que compõem a minha face. Cavidades inteiras se debateram em lágrimas e um retesamento da face, chocada, deu fim à barbárie. No final, desisti e encontrei alívio na ótica aqui da Paulista. Olhos de Capitu, dissimulados? Não os tenho. Os tenho mais rebeldes do que as FARC, prontos a revidar ao primeiro sinal de ataque. Enfim, são os olhos do ofício (o trocadilho é barato, mas, depois de tudo o que passei, estou podendo!).

Perante essa peregrinação em função de um único sentido - a visão - os demais, uns mais agudos e outros mais relapsos, ficaram um pouco relegados nesta terça-feira. Mas, os pães salvaram o meu dia, estafante, posto que os olhos estavam em chamas, mas o estômago, este, matreiro, não se apaga nunca e me consome, se eu mesmo não consumo algo. Vamos aos pães, alimento do corpo e da alma, porque hoje tive aula de Panificação e a variedade (e falta de sobriedade) me deixou alimentado e me esqueci dos olhos. Porque, você sabe, somente nos recordamos dos detalhes quando nos faltam. Vou repartir meu pão com vocês, sem multiplicá-lo, contudo.

Fizemos pão de forma branco, pão de forma preto, bisnaguinhas, pão de hot dog, de hamburguer, pão de frios, hamburgão, esfiha (não a árabe, e sim a de padaria), bisnaga e lua-de-mel, que é um delicioso pãozinho redondo doce com recheio de creme, banhado de leite e recoberto de coco ralado.

Por uma falha minha (falta de tempo, esquecimento e o mesmo blábláblá de sempre), não disponho da receita apropriada de qualquer um desses tipos de pães. Não me arriscarei a passá-la de cabeça porque essa é falha e, assim como os olhos, pode ser duramente castigada se exposta a um trabalho forçado para resgatar a quantidade exata de farinha, água, manteiga, sal, fermento biológico, misturador e outros ingredientes (tentei relacionar todos aqui para que, por meio de associação de idéias, a receita me saltasse ao cérebro, inteira e gloriosa, sem sucesso, porém).

De qualquer forma, estampo o post com várias fotos das produções de hoje. Se você realmente precisar de uma receita, me consulte em privado. Como disse a uma leitora, esse tipo de consultoria off-Rastreio pode ser cobrado em euros que, apesar de não ter os passos gazélicos de Gisele Bündchen, dou meus passinhos nas passarelas do metrô. Beijo que hoje, com olhos de ressaca, estou de bem com a vida!

8 Comentários:

Srtª Amora disse...

o meme ainda está te esperando lá no meu blog...

bjok!

leve&solto disse...

Leitora, leitora??? Quem será???rs

Cuide bem desses olhos atentos!!!!!

Bjo

Mara

Redneck disse...

Amora, eu te respondi ontem. Só ainda não tive tempo. Paciência, please. Beijo!

Mara, sinto meus olhos nadando em areia com estas lentes descartáveis. Ainda terei que aguentar até que as definitivas fiquem prontas. Mas, com ou sem lentes, continuo olhudo! Beijo!

incompletudes disse...

Três coisas em comum:

jornalismo, amor à gastronomia e ser cego...

rs
rs
rs


meu Deus, não posso vir nesse blog... VOCÊ DESPERTA O ALIEN QUE MORA NO MEU ESTÔMAGO...

rs

beijos,
espero que encontre rápido novas lentes para que não haja outros acidentes...rs

rs

cuidado onde põe a mão viu..rs. (conselho de vó..rs)

marco* disse...

oie,

acredita que acabei de comer um éclair de café? e eu pensei em vc e vim ler! hehehehe
aliás, eu gostaria tanto de aprender a cozinhar, mas em casa ninguém se dispõe, com amor e paciência a me explicar as coisas. :-(
agora, que pena pelas lentes hein.

marco* disse...

respondendo: já está convidado pra vir pra frança, no meu caso nao estou em paris (porque a vida é cara por lá) mas mesmo assim a uma hora e meia de trem, no nordeste, a 15 minutos de tres fronteiras e passando um frio do carai', desculpa o termo, mas é verdade.E olha, vc não foi o único, eu tbm ñ ganhei ovo, nem comprei e passo por vários chocolatiers todo dia e só fico na vitrine apreciando e com vontade daqueles chocolates de toda forma (vi um na forma de galinha hj, muito engraçadinho).Vc me fala da alegriaXecstasy no meu email se quiser, tá aí ok chambis @ gmail.com? Quanto a Mylène farmer, aaaaa, tudow: tem essa musica que eu adoooro : http://fr.youtube.com/watch?v=dq8FNcKwQJI e essa aqui que é super conhecida: http://fr.youtube.com/watch?v=p-J9aNoA4bU Ta aí! As biu adoram ela...e não sei se vc vai concordar mas ela tem o poder de provocar uma doce melancolia na gente.Ela vai fazer uma turne em 2009 e EU NAO VOU MAIS ESTAR AQUI! VOU MORRER!aaaaaaa :-( enfim, beijão

Redneck disse...

Caro, quanto ao fato de você comer essas coisas maravilhosas e não guardar nada para mim, já cometi uma pequena vingança no post Rastreio - 21. Leia e verá. Aliás, pode me dar esse de galinha mesmo que tem tudo a ver. E valeu pela dica da Mylène. Ainda não vi, mas, se eu gostar como você diz, vira um post, claro. Beijo!

Redneck disse...

K, você, que vem pouco por aqui (eu, relapso, admito que tenho ido menos ainda até sua casa), você viu que tríade: jornalismo, gastronomia e cegueira? Pois essa cegueira é congênita de alma, para dizer o mínimo. Que enxergo através, mas não enxergo o óbvio. É uma danada de uma cegueira. O alien é um diabinho, conforme disse no post Ratreio 21. Eu a entendo. E quanto às mãos, felizmente, eu não estava tarado, e alguns lugares não foram profanados pela chama da pimenta. Bom (ou não). Será que a experiência é legal? Ach oque vou tentar. Vou ficar com algumas partes (pudendas) pegando fogo (mais, quer dizer). Beijo!

Autor e redes sociais | About author & social media

Autor | Author

Minha foto
Redneck, em inglês, define um homem rude (e nude), grosseiro. Às vezes, posso ser bem bronco. Mas, na maior parte do tempo, sou doce, sensível e rio de tudo, inclusive de mim mesmo. (Redneck is an English expression meaning rude, brute - and nude - man. Those who knows me know that sometimes can be very stupid. But most times, I'm sweet, sensitive and always laugh at everything, including myself.)

De onde você vem? | From where are you?

Aniversário do blog | Blogoversary

Get your own free Blogoversary button!

Faça do ócio um ofício | Leisure craft

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!

NetworkedBlogs | NetworkedBlogs

Siga-me no Twitter | Twitter me

Quem passou hoje? | Who visited today?

O mundo não é o bastante | World is not enough

Chegadas e partidas | Arrivals and departures

Por uma Second Life menos ordinária © 2008 Template by Dicas Blogger Supplied by Best Blogger Templates

TOPO