Blog Widget by LinkWithin
Connect with Facebook

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

No gargalo dos sifões, laboratórios farmacêuticos matam pacientes

Estima-se, atualmente, que a diabetes afeta cerca de 12% da população brasileira, ou 22,8 milhões de pessoas. A diabetes mellitus é uma doença metabólica cujo principal sintoma é um aumento anormal da taxa de glicose (açúcar) no sangue. Se não for tratada adequadamente, a diabetes pode causar outras doenças como infarto do coração, derrame cerebral, insuficiência renal, problemas visuais e lesões de difícil cicatrização.


Diabetes, em grego, denomina 'sifão' (sim, aquele usado em pias), ou 'correr ou escorrer através de'. Mellitus vem do latim e significa 'adoçado com mel'. Ou seja, Diabetes mellitus é, literalmente, algo como um líquido (urina) açucarado que se esvai.




A diabetes não tem cura. Mas há uma série de tratamentos que, seguidos rigorosamente, garantem ao portador a convivência pacífica com essa doença. No mundo, a Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que hajam 240 milhões de pessoas portadoras da diabetes, ou 6% da população total.




Uma das formas utilizadas pelos portadores para manter a diabetes sob controle são os aparelhos medidores que indicam os níveis de glicose no sangue e fornecem os elementos para a ingestão de insulina, que é o hormônio responsável pela redução da glicemia (ou taxa de glicose no sangue).


Um dos maiores laboratórios farmacêuticos do mundo e do Brasil, o suíço Roche, é também fabricante de aparelhos medidores de glicose. Um comunicado emitido pela Food and Drug Administration (FDA), que é  a agência norte-americana responsável pela fiscalização de medicamentos, alerta para um gravíssimo problema com alguns aparelhos baseados na metodologia GDH-PQQ (medidores baseados em glicose desidrogenase com pirroloquinolina quinona), que podem apresentar resultados falsamente elevados sobre a quantidade de insulina a ser ingerida pelos pacientes. Se um diabético recebe quantidade excessiva de insulina, pode ter hipoglicemia (níveis baixos anormais de açúcar no sangue), ser induzido ao coma e, em casos extremos, pode morrer.




A FDA deixa claro: NUNCA USE MEDIDORES DE METODOLOGIA GDH-PQQ e alerta que, nos EUA, 13 pessoas morreram em consequência desses equipamentos. Ou seja, os laboratórios fabricantes, literalmente, matam pacientes. NO BRASIL, 7 EM CADA 10 PACIENTES USAM APARELHOS DESSE TIPO!!! Portanto, correm riscos altíssimos. A primeira providência, se você for portador de diabetes ou conhecer alguém diabético, é orientar para que procure, imediatamente, o médico e se informe sobre a metodologia usada pelos aparelhos medidores (ou tiras de teste).


Abaixo, os equipamentos com tecnologia GDH-PQQ que, comprovadamente, fornecem diagnósticos imprecisos aos usuários, segundo divulgação da FDA:


Do laboratório Roche:


- Accu-Chek Comfor Curve (tira de teste)
- Accu-Chek Inform Metros (modelo 2001201)
- Accu-Chek Metros Complete (modelos 200 e 250)
- Accu-Chek Advantage Metros (modelos 888, 831, 850 e 768)
- Accu-Chek Metros Voicemate (modelo 0009221)
- Accu-Chek Aviva Metros (tiras modelos 525, 535 e 555)
- Accu-Chek Compact Metros (tiras modelo GF)
- Accu-Chek Compact Metros Plus (tiras modelos GP e GT)
- Accu-Chek Go Metros (tira modelo GJ)
- Accu-Chek Active Metros (tiras modelos GG e GN)


Do laboratório Abbot:


- Freestyle Metros (tiras)
- Freestyle Metros Flash (tiras)
- Freestyle Metros Freedom (tiras)
- Freestyle Metros Lite (tiras)
- TrueResult Metros (tiras)
- True2Go Metros (tiras)
- Cozmo Deltec Insulin Pump
- OmniPod Insulina Management System


Abaixo, links complementares sobre o assunto das mais diversas instituições:


- FDA
- Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD)
- Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)
- Portal Diabetes


Eu, particularmente, tenho amigos e conhecidos portadores de diabetes e, por meio deste post e diretamente, repassarei essas informações. Peço aos(às) eventuais leitores(as) blogueiros(as) que repliquem este post da forma como puderem para disseminar essas informações. Ao contrário do nome em latim que compõe a denominação da diabetes, nada aqui é doce como o mel, e sim amargo e fatal.

22 Comentários:

gabriela disse...

Onde vamos parar desse jeito pessoal!!!!Uma empresa desse porte deixar isso acontecer,q tivesse uma pessoa morrido isso é uma tragédia.
Não sou diabetica,mas conheço muita gente q é e sofrem muito,precisam saber disso agora!!!!!!!

charles disse...

pqp!!!estou passado!!
Cara..sou diabetico e não uso roche,mas conheço muita gente q usa,e sempre reclamam..mas nem imaginava q chegaria a esse ponto.
Vou repassar sim

fernanda disse...

Boa tarde pessoal!!!
Já não basta ter uma doença incuravel agora um aparelho q não funciona?

pinguim disse...

Eu também sou diabético, embora muito controlada...mas não deixo de ter medo!
Abraço.

rafael disse...

Nossaaaaaaaaaaa!!!!
gente o q é isso?isso pode deixar as pessoas com complicações ou até a morte mesmo!!
Não é só ganhar dinheiro não roche!!!

Carol Jordão disse...

Sou diabetica recente e tive q comprar um aparelho,mas o medico não me indicou esse não foi um da bayer.Nunca tive problemas.

Bjs

carlos disse...

Muito interessante essa materia,perceb q tem essoas preocupadas com o nosso problema,só q tem gente mais importante q deveria dar mais importancia ao caso,qtos devem ter morrido já?

lorena disse...

Galera!!é muito simples sem espanto...é só não usar esse aparelho mais,claroq é pra ficar indignado...porem já é um alerta para q não use esse...vamos ser praticos.ACCU CHEK nunca mais!!!

julia disse...

Meu filho é diabetico e sofremos muito com isso,pq é uma criança ainda já cheios de limitações,agora mais essa história da roche,me deu pavor só de pensar q posso estar fazendo alguma coisa errada com o meu filho..
Agora não mais,vou doar tudo q tenho aqui da roche!!!quem quiser é só falar

Redneck disse...

Gabriela, ainda bem que alguns órgãos sérios, como a FDA, fiscalizam efetivamente. E ainda bem que podemos espalhar a informação para minimizar as consequências. Se o laboratório fosse sério, mesmo, viria a público se pronunciar, pedir desculpas, qualquer coisa. Mas, eles se calam. Nós não. Beijo!

Redneck disse...

Charles, você sabe melhor do que eu então os tormentos para contornar os problemas. Eu desconfio de qualquer empresa porque a única coisa que as companhias almejam é o lucro, não importa o custo, ainda que seja o de vidas humanas. Repasse sim. Abraço!

Redneck disse...

Fernanda, a irresponsabilidade é genérica. Esses laboratórios europeus e, particularmente da Suíça, talvez pensam que somos, mesmo, um bando de índios para nos tratar assim. Beijo!

Redneck disse...

Pinguim, como não ter medo diante da total falta de ética de empresas que fabricam produtos que, a priori, deveriam ser feitos para controlar nossa saúde? Fazem o contrário e ainda escondem. Nesse caso, ainda sabemos do que se trata e é possível reverter o processo. Mas imagino quantos casos obscuros passam sem que saibamos. É, eu também tenho medo. Abraço, meu caro!

Redneck disse...

Rafael, engraçado o nome do laboratório, né! Roche. Deveria ser uma rocha de lisura e é uma rocha que cai sobre nossas cabeças. E, sim, é só o dinheiro que conta. Abraço!

Redneck disse...

Carol, ao menos espero que outros laboratórios, como a Bayer (tampouco confiável, já que fabricou produtos químicos para serem usados pelos nazistas), não repitam o mesmo erro da Roche e da Abbot. Claro que não vão fazer a mesma coisa, mas, é sempre bom ficar de olho porque são todos não-confiáveis. Beijo!

Redneck disse...

Carlos, também acho que é o caso de se colocar na TV, nos jornais, de berrar mesmo. Nesse caso, o nosso governo, via Anvisa, é bastante omisso. Mas temos, nós, os blogueiros, meios de botar a boca no trombone. E funciona. Abraço!

Redneck disse...

Lorena, também acho que é só parar de usar. Mas isso vale para quem sabe. E os que desconhecem o problema? Não é tão simples assim. De fato, tem que haver uma fiscalização mais rigorosa e uma punição exemplar. De preferência, uma multa alta o suficiente para fazer esse tipo de empresa pensar duas vezes antes de incorrer em novas fraudes. Beijo!

Redneck disse...

Julia, lamento pelo seu filho. Não sou pai mas compartilho do teu pavor: como saber se isso ou aquilo é o certo? A princípio, confiamos. Mas, quando acontece isso, ficamos sem referências. Eu não gosto de afirmar isso mas, nesse tipo de contexto, estamos nas mãos de terceiros que podem, ou não, agir levianamente. Todo cuidado é pouco. Beijo!

Paty disse...

Bom dia pessoal!!!Nossa parece filme de terror,onde a pessoas vai confiando nos seus passos e derrepente aparece algum fantasma..
isso realmente mataaaaaaa!!!!
vamos investigar mais né!!!

Redneck disse...

Paty, pois é. Espero que os alertas sirvam para alguma coisa.

hanibal disse...

Olá,

O meu pai é recentemente diabetico tipo 1, e estava a pensar em comprar uma bomba de insulina, depois de uma busca na internet dei com duas bobmbas que sao as melhores nesta altura em portugal.
uma delas é a a Accu-Check da Roche que já está posta de parte depois do que li neste blog a outra é a
Paradigm VEO da Medtronic que é MiniMed
Algum reparo em relação a esta bomba?

Muito Obrigado

Redneck disse...

Oi Hanibal, tudo bem? Depois deste post, o próprio laboratório me contatou e eu publiquei a versão deles (veja que está nos links relacionados a este post). Sobre o MiniMed, eu não tenho conhecimento de nada que o desabone. Abraço!

Autor e redes sociais | About author & social media

Autor | Author

Minha foto
Redneck, em inglês, define um homem rude (e nude), grosseiro. Às vezes, posso ser bem bronco. Mas, na maior parte do tempo, sou doce, sensível e rio de tudo, inclusive de mim mesmo. (Redneck is an English expression meaning rude, brute - and nude - man. Those who knows me know that sometimes can be very stupid. But most times, I'm sweet, sensitive and always laugh at everything, including myself.)

De onde você vem? | From where are you?

Aniversário do blog | Blogoversary

Get your own free Blogoversary button!

Faça do ócio um ofício | Leisure craft

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!

NetworkedBlogs | NetworkedBlogs

Siga-me no Twitter | Twitter me

Quem passou hoje? | Who visited today?

O mundo não é o bastante | World is not enough

Chegadas e partidas | Arrivals and departures

Por uma Second Life menos ordinária © 2008 Template by Dicas Blogger Supplied by Best Blogger Templates

TOPO