Blog Widget by LinkWithin
Connect with Facebook

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Faça caras e bocas porque hoje é dia do orgasmo

Nesta sexta-feira, 31 de julho, celebra-se o Dia Mundial do Orgasmo, data informal criada na Inglaterra por redes de sex shop para alimentar (mais) o consumo relacionado ao sexo. As lojas de sex shop inglesas fizeram uma pesquisa e constataram que 80% das mulheres não atingem o orgasmo nas relações sexuais. No Brasil, estudo equivalente aponta que 50% das mulheres brasileiras têm o mesmo problema. Problema esse que pode originar-se da própria mulher ou do parceiro, já que, apenas no Brasil, 12 milhões de homens, conforme o mesmo levantamento (sem trocadilho), sofrem de algum tipo de disfunção sexual.


O orgasmo (pequena morte, na ótima definição da língua francesa) é a resposta ao auge do intercurso sexual. Tanto o homem quanto a mulher têm orgasmos, simultaneamente ou não. É algo que nos foi trazido, talvez, pela evolução, já que, para fins reprodutivos, é necessário que haja uma espécie de premiação para que ocorra o ato sexual que engravide a mulher e garanta a sucessão da prole humana.


Mas, é meio assim como a definição de Groucho Marx: "tudo o que é bom é ilegal, imoral ou engorda". O orgasmo não chega a matar (pequena morte não é a 'morte'). Mas pode engordar (mulheres) e ser ilegal (depende do país e da orientação). Imoral? Imoral é não fazer sexo. Ainda assim, há casos mais do que confirmados (ver Bill...que kill...) de que algumas pessoas almejam tanto a busca pelo prazer que se esquecem, inclusive, de respirar, e morrem sufocadas (nunca sei se aqueles que morrem atingiram, afinal, o orgasmo ou não antes da morte definitiva). Dura breve segundos, o que é uma lástima. Acho que se durasse muito, ninguém faria mais nada. E pode ser obtido tanto com parceiros quanto solitariamente, pela masturbação.

Fisiologicamente, o orgasmo ocorre por meio da excitação das zonas erógenas genitais, masculinas e femininas. Mas as há, as pessoas taradas, que bastem que espirrem para obter o gozo (inveja). E há aquelas que você pode tratar feito um estilingue (estica e puxa) que, ainda assim, mantêm-se frias feito o Ártico. O orgasmo é revelado, no homem, pela ejaculação do sêmen na maioria das espécies de mamíferos, o que nos inclui.


O prazer é intenso, físico, controlado pelo sistema nervoso, e consiste em contrações musculares, espasmos, euforia, e, conforme a pessoa, pode transformar-se em vocalizações, que nada mais são do que grunhidos primitivos que variam entre notas graves e agudas e, por vezes, pode constranger o(a) parceiro(a), o andar, o prédio e até mesmo a vizinhança. Sei de casos em que foi necessária a intervenção de administradores de condomínios para conter essa referida vocalização. Realmente, algumas pessoas não se contêm dentro de si mesma e precisam compartilhar esse pequeno momento com todos. Nada contra, desde que me convidem para uma festa orgiástica e também eu poderei urrar junto, sem o menor pudor.

Mas a espécie humana é uma coisa: algumas pessoas padecem da ausência de orgasmo, a anorgasmia, que é considerada uma doença (o excesso de orgasmo também o é). Homens e mulheres têm orgasmos e isso é uma convenção do humano: cada um o tem de uma forma diversa e, por isso, na minha opinião, há tanta insatisfação, notadamente da mulher.


O homem goza e acabou-se. Vira para o lado, fuma (se fumante) e dorme. O corpo da mulher processa o orgasmo de outra forma e o ciclo de prazer é mais extenso (com picos, os chamados orgasmos múltiplos). Como um (homem) vai para o reino de Morfeu e a outra (mulher) permanece no reino dos mistérios gozosos, claro que perde-se algo entre um reinado e outro. E esse impasse tampouco pode ser sanado entre casais gays, sejam homens ou mulheres, porque, na verdade, cada ser é único e nem por decreto real ou bula papal que encontraremos no(a) outro(a) a completa realização de cada desejo.

Mas, em busca do prazer, tentamos e fazemos, sempre. Às vezes, calha de encontrar o(a) parceiro(a) mais ou menos ideal. Outras, fica-se na mão, literalmente. Existem algumas classificações de orgasmo:


- Múltiplo: como já citei acima, a mulher é majoritária nesse tipo de prazer mas os homens, na pré-puberdade, também podem tê-lo. O que é uma surpresa para mim. Desagradável, quero deixar claro, pois passei da pré, da puberdade e da adolescência e, portanto, efetivamente, não posso testar essa teoria e dizer se é verdadeira ou não.

- Espontâneo: é o do espirro que escrevi acima. Independe de prévia estimulação. Pode ocorrer em pessoas que sofreram lesões na medula espinal e, ao que parece, algumas drogas antidepressivas (Fluoxetina já!) podem provocá-lo também. Um atchim! e... já era! Bom para quando não temos tempo e o tesão apela.

- Vaginal: quando a mulher tem orgasmo sem que seja estimulada no clitóris. Há controvérsias. Mas sempre as há.

- Anal: decorre da estimulação do ânus, com o pênis, dedo ou um brinquedo apropriado. Alguns usam objetos estranhos e vão para o hospital, em flagrante delito e transformam-se em motivo de galhofa, risadas e piadas. Todo CUidado é pouco.

- Mamário: ocorre com a estimulação dos seios da mulher. Mas também depende de cada mulher. Umas sentem, outras não estão nem aí. Embora os seios estejam, lá, à deriva.

- Seco: é apenas um sopro, um puff! e já era também. É raro mas acontece. É o orgasmo sem esperma, e não o orgasmo sem ejaculação, que é outro processo. No caso, creio que o orgasmo seco é bom para momentos em que você se vê privado de intimidade e deve fazê-lo em público. Uma pena que não é controlável. Espero que a evolução progrida o suficiente para que esse tipo de orgasmo seja facilmente acessível.

- Simultâneo: se o orgasmo seco é raro, o simultâneo - 'vamos chegar juntos' - é mais raro ainda. Palavras minhas, e não de estudos. Teoricamente, é o objetivo, enfim, do orgasmo: que os parceiros, sejam quais forem, o atinjam juntos. Na prática, acho que nem sempre é assim.


Depois dessa aula de sexo, desejo a você, hoje, Dia Mundial do Orgasmo, e amanhã, depois, sempre, que você consiga atingir o seu, seja seco, molhado, múltiplo, solitário ou primitivo (aquele que envolve grunhidos e gemidos, semelhante a uma luta). Faça, se necessário, caras e bocas. Contorça-se, exiba a agilidade corporal, alongue-se feito um estilingue. Mas goze. Goze rápida ou demoradamente mas goze. Porque o momento é breve, de pequena morte, e depois acabou. Pode não ter mais. De qualquer forma, você sempre tem a você mesmo(a). Feliz dia do orgasmo! Só por curiosidade: você já teve o seu hoje?

3 Comentários:

pinguim disse...

Uma autêntica aula de sexo, na verdade, embora eu não concorde nada com mais este "dia internacional de...", pois todos os dias deviam ser, obrigatoriamente, dias do orgasmo...
Abraço.

Redneck disse...

Pinguim, então, estamos juntos nisso: eu também acho que deveria ser obrigatório o orgasmo diário. Para o nosso próprio bem e prazer. Esse negócio de dia internacional, nada a ver. O negócio é o dia-a-dia mesmo. Abraço!

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.

Autor e redes sociais | About author & social media

Autor | Author

Minha foto
Redneck, em inglês, define um homem rude (e nude), grosseiro. Às vezes, posso ser bem bronco. Mas, na maior parte do tempo, sou doce, sensível e rio de tudo, inclusive de mim mesmo. (Redneck is an English expression meaning rude, brute - and nude - man. Those who knows me know that sometimes can be very stupid. But most times, I'm sweet, sensitive and always laugh at everything, including myself.)

De onde você vem? | From where are you?

Aniversário do blog | Blogoversary

Get your own free Blogoversary button!

Faça do ócio um ofício | Leisure craft

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!

NetworkedBlogs | NetworkedBlogs

Siga-me no Twitter | Twitter me

Quem passou hoje? | Who visited today?

O mundo não é o bastante | World is not enough

Chegadas e partidas | Arrivals and departures

Por uma Second Life menos ordinária © 2008 Template by Dicas Blogger Supplied by Best Blogger Templates

TOPO