Blog Widget by LinkWithin
Connect with Facebook

terça-feira, 13 de novembro de 2007

Porcos selvagens (republicado às 16:35 horas)

Reproduzo aqui, sem a devida autorização porque não tenho como contatá-lo, o comentário de uma leitora anônima ao post "Cala a boca, Chávez!", publicado no último dia 10. O comentário já está disponível na seção de comentários, que é aberta a qualquer leitor. No entanto, como há uma limitação ao tamanho dos comentários e porque concordo integralmente com a opinião do leitor, posto na íntegra a resposta ao post: "Você sabe como capturar porcos selvagens?Você captura porcos selvagens encontrando um lugar adequado na floresta e colocando milho no chão. Os porcos vêm todos os dias comer o milho gratuito. Quando eles já estão acostumados a vir todos os dias, você coloca uma cerca, mas só de um lado. Quando eles se acostumam com a cerca, eles voltam a comer o milho e você coloca um outro lado da cerca. Mais uma vez eles se acostumam e voltam a comer. Você continua desse jeito até colocar os quatro lados da cerca em volta deles com uma porta no último lado. Como os porcos já estão acostumados ao milho fácil e às cercas, eles começam a vir sozinhos pela entrada. Você então fecha a porta e captura o grupo todo. Assim, rapidamente, os porcos perdem sua liberdade. Eles ficam correndo e dando voltas dentro da cerca, mas já foram pegos. Logo, voltam a comer o milho fácil e gratuito. Eles ficaram tão acostumados a ele que esqueceram como caçar na floresta por si próprios, e por isso aceitam a servidão. É exatamente isso que acontece. O governo empurra o povo para onde quer e espalha o milho gratuito na forma de programas de auxílio de renda, bolsas isso e aquilo, impostos variados, estatutos de "proteção", cotas para estes e aqueles, subsídio para todo tipo de coisa, pagamentos para não plantar, programas de "bem-estar social", medicina e medicamentos "gratuitos", tudo ao custo da perda contínua das liberdades, migalha a migalha. Devemos lembrar que não existe esse negócio de almoço grátis e também que não é possível alguém prestar um serviço mais barato do que seria se você mesmo o fizesse. Finalmente, se você percebe que toda essa maravilhosa "ajuda" governamental é um problema que se opõe ao futuro da democracia em nosso país, você vai divulgar esta mensagem. Mas, se você acredita que políticos e ongueiros pedem mais poder para tirarem liberdades e dinheiro dos outros para beneficiar *você* ou "os pobres" então que Deus o ajude quando trancarem a porta!"

4 Comentários:

Anônimo disse...

Um texto mais poético e, melhor escrito: (atribuído a Brecht)
No caminho com Maiakóvski

Na primeira noite eles se aproximam e roubam uma flor do nosso jardim
e não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem; pisam nas flores....
(Eduardo Alves da Costa)

Poeira Cósmica Cibernética disse...

Para o anônimo: com certeza a essência é a mesma, porém, muito mais poético. Valeu! Precisamos salvar nossas flores...Acho que vou abreviar meu nick...PCC, ou será de muito mau gosto? O que acha, meu caro amigo Redneck?

Redneck Protoanjo disse...

Cara Poeira, acho que conforme comentei no blog, numa época de alta velocidade de informação, é melhor você usar a sigla PCC: economiza na digitação, nos acentos (que o translate não entende) e ainda fica sob a égide uma organização temida por todos. É uma maneira tão boa quanto outra qualquer de se proteger. Eu usaria PCC sem pudor algum e até com alguma afronta. Beijo (vou descobrir quem vc é ainda pq não posso conviver com tanta curiosidade por tanto tempo)

Anônimo disse...

continuação do 1º comentário:
o poema é muito bom e o procurei numa antologia do Brecht em casa e não encontrei. Valeu-me a net onde descobri que esta é umas grandes confusões cibernéticas, com muita gente boa atribuindo o poema a Brecht

Autor e redes sociais | About author & social media

Autor | Author

Minha foto
Redneck, em inglês, define um homem rude (e nude), grosseiro. Às vezes, posso ser bem bronco. Mas, na maior parte do tempo, sou doce, sensível e rio de tudo, inclusive de mim mesmo. (Redneck is an English expression meaning rude, brute - and nude - man. Those who knows me know that sometimes can be very stupid. But most times, I'm sweet, sensitive and always laugh at everything, including myself.)

De onde você vem? | From where are you?

Aniversário do blog | Blogoversary

Get your own free Blogoversary button!

Faça do ócio um ofício | Leisure craft

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!

NetworkedBlogs | NetworkedBlogs

Siga-me no Twitter | Twitter me

Quem passou hoje? | Who visited today?

O mundo não é o bastante | World is not enough

Chegadas e partidas | Arrivals and departures

Por uma Second Life menos ordinária © 2008 Template by Dicas Blogger Supplied by Best Blogger Templates

TOPO